capa do livro

A Arquitetura das Estrelas

Os princípios de harmonia e a gestão sustentável

Rodrigo Victor Marques

Assim como a maioria dos leitores de livros com um tema como o apresentado, sempre fui curioso, sempre admirei as formas da natureza e sempre me preocupei com sua preservação. Mas minhas indagações só ganharam força aos sete anos de idade quando no colégio em que estudava, em um mesmo dia ouvi duas versões diferentes da gênese do universo a princípio antagônicas: uma científica e outra religiosa.

Aos 21 anos, após estudar as raízes da Arquitetura e passar por algumas experiências e reflexões, consegui primeiramente para minha própria satisfação, formular uma visão ao mesmo tempo simples, coerente e integrada do conhecimento filosófico, científico e religioso que tive o prazer de ter acesso. Percebi que as duas versões em essência estavam certas e afirmavam a mesma coisa - uma versão era direta e pragmática e a outra uma narrativa simbólica e poética da gênese das formas.

Na continuidade do estudo, primeiramente observei princípios comuns de construção e gestão presentes em toda parte do micro ao macrocosmos, aqui apresentados como a “Arquitetura das Estrelas”, e sua aplicação prática – como os leitores poderão observar – em um método natural para a rápida definição da forma básica de projetos. Mas somente após mais alguns anos de pesquisa e observação, cheguei a uma maneira de aplicar estes conhecimentos de modo mais amplo, prático e útil para nosso tempo, no entendimento do que podemos fazer para tornar nosso desenvolvimento mais sustentável e harmônico com a natureza e conseqüentemente mais viável a continuidade de nossa civilização.

Assim, suas possibilidades de aplicação – que juntamente a um grande amor pela vida e pela humanidade, me motivaram a escrever e editar este livro – estão na maior compreensão da beleza dos princípios de construção, estruturais e de harmonia da Natureza, da Arquitetura e das Artes, e na formação profissional adequando Metodologias de Trabalho a Processos de Gestão Sustentáveis dentro das premissas da atualidade. Tanto no nível Pessoal como no Interpessoal, Público ou Privado. A extensão natural da aplicação destes conhecimentos é a conquista da Auto-Realização Consciente Individual e Coletiva dos Seres Humanos na construção de uma Civilização que se desenvolva em Harmonia sobre nosso Belo Planeta Azul.

Para muitos, a busca do conhecimento científico pode parecer dispensável. Geralmente preferimos viver simplesmente trabalhando, nos divertindo, ou convivendo com amigos e familiares. Mas atualmente podemos constatar o crescimento do interesse por notícias científicas pelo número e freqüência que elas tem circulado na internet e na mídia de maneira geral. Outro sinal positivo é a propagação mundial da construção de Centros de Ciência e Tecnologia. Estes núcleos, uma mistura de Museus de Ciência com Parques Temáticos são consistentes meios para evolução cultural, de entretenimento, de divulgação científica, de fomento do turismo e de novas tecnologias, principalmente as sustentáveis. Naqueles bem projetados e administrados com dinamismo e criatividade a freqüência do público é bem grande. Nesses espaços, crianças, adolescentes e adultos, tanto moradores locais como de outras regiões e países despertam seu interesse pela Ciência de forma lúdica e prazerosa.

Enfim, o que nos distingue das outras formas da natureza é o nosso grau de consciência, capacidade de questionar, de nos comunicar, interagir de maneira complexa, nos organizar socialmente, desenvolver culturas e de processar os recursos da natureza construindo o que chamamos de civilização. Em um processo natural, nos tornamos cada vez mais conscientes de nós mesmos, da importância do ambiente que nos circunda e de nosso papel neste grande cenário. Assim, a curiosidade científica e o conhecimento podem se transformar em maior fonte de prazer, de integração religiosa consciente, de melhor qualidade de vida e crescimento constantes.

Neste livro, o leitor não deve se preocupar com temas aparentemente difíceis ou distantes como a Teoria da Relatividade, Matrizes, Ciberespaço, Física Quântica, ou Espaço Pluridimensional. Na verdade são conceitos simples, pois fazem parte da vida, estão cada vez mais presentes em nosso cotidiano cosmopolita e fundamentam este estudo. São assuntos apresentados de forma resumida e natural, mas se o leitor não se interessar em conhecê-los, poderá passar adiante sem perder a compreensão dos temas principais. Não deve se importar também com a ênfase e repetição do termo harmonia, no momento quase esquecido. Ao longo da leitura reconhecerá sua grande importância.

Sou e sempre serei otimista confesso. Para justificar esta afirmativa, sugiro ao leitor imaginar um hipotético habitante de outro sistema solar observando nosso planeta, e que a busca de harmonia das formas sempre esteve presente entre nós, assim como em todo o curso da evolução natural. Observaria que este processo pode ser aprimorado pela eternidade da vida, no tempo e no espaço. Somos ansiosos e queremos acelerar o tempo, mas se compararmos nossos padrões atuais com os da Idade Média por exemplo, verificaremos que conseguimos muitos avanços.

Assim, de maneira sintética, encontra-se neste estudo a apresentação da Arquitetura em seu mais amplo sentido, como a construção harmônica das formas, a “Arquitetura das Estrelas”. Complementando, a aplicação prática de seu conhecimento na Gestão Sustentável, que começa a despontar neste alvorecer da consciência do Ser Humano.

Rodrigo Victor Marques

 

Veja também

capa do livro

Trânsito como eu o entendo

A ciência da mobilidade urbana

Celso Franco