capa do livro

Ética e Bioética na formação acadêmica

Problema ou solução?

Diva Lopes da Silveira e Elvino Ferreira (orgs.)

Este livro é o resultado de um trabalho de pesquisa desenvolvido por um grupo de estudo, constituído por professores e alunos do Curso de Medicina Veterinária, do Centro Universitário de Barra Mansa/UBM, que, durante três anos (2001-2004), se encontrou, semanalmente, para refletir sobre ética e bioética e propor cursos de ação para a introdução e o aprimoramento dessas questões através do Curso de Medicina Veterinária (dentre outros).

O livro foi desenvolvido em duas partes. A primeira tem quatro capítulos, sendo o primeiro escrito pelo professor Alcino Camatta, que indaga sobre o porquê de tantas regras de ética e moral e argumenta que normas em excesso podem reduzir o nível de consciência do homem, transformando-o numa máquina. E como sabemos o homem não é máquina. Ele precisa descobrir na profundeza do seu ser uma ética e uma moral que nasçam do Ser e possam ter valor de vida. Daí, o verdadeiro motivo desse ensaio de uma metafísica cosmoética.

O segundo capítulo foi desenvolvido pelos Profs. Diva Lopes da Silveira e Elvino Ferreira e José Carlos de Souza Junior, então acadêmico do Curso de Medicina Veterinária/UBM – hoje recém-formado médico veterinário –, apresenta o “cenário situacional” da ética e bioética, ou seja, uma visão geral desses dois princípios, suas origens, definições e evolução. Apresenta também os dez mandamentos da ética, conforme Chalita (2003), e sugere a incorporação da ética e bioética, não meramente como uma disciplina, mas como um programa formal e regular, em todos os níveis de escolaridade, com ênfase nos cursos de graduação em medicina veterinária (dentre outros).

No terceiro capítulo, os Profs. Diva Lopes da Silveira e Francisco Ricardo Calderaro Nogueira apresentam questões teórico-práticas sobre como pensar e administrar questões éticas e bioéticas.

No quarto capítulo, os Profs. Elvino Ferreira e Ladário da Silva, juntamente com os então discentes (atualmente médicos veterinários) Marcela Freitas e Marino Lourenço Júnior, apresentam uma abordagem geral no tocante ao uso de animais como modelos para experimentação científica e algumas implicações quanto ao desenvolvimento de tecnologias.

Na segunda e última parte do livro, o quinto e o sexto capítulos focalizam a ética e a bioética na medicina veterinária, propriamente dita. No quinto capítulo, o professor Francisco Ricardo Calderaro Nogueira, Coordenador do Curso de Medicina Veterinária/UBM, apresenta um breve histórico da Medicina Veterinária no mundo, no Brasil e aspectos do Curso de Medicina Veterinária no Centro Universitário de Barra Mansa/UBM. O último capítulo, desenvolvido por quase todos os autores, descreve, ainda que brevemente, os “cenários perceptivo e prospectivo” da ética e bioética. O “cenário perceptivo” se refere aos dados coletados junto a amostras de professores e de alunos do Curso de Medicina Veterinária/UBM, em 2003, sobre a percepção dos mesmos a respeito da ética e bioética. E o “cenário prospectivo” recomenda possíveis alternativas para reflexão e prática da ética e bioética em organizações educacionais.

Este livro busca ressaltar a importância da conscientização de profissionais e pessoas, em geral, sobre o papel da ética e bioética no planejamento e na tomada de decisões referentes ao bem-estar dos seres humano e animal.

Diva Lopes da Silveira
Elvino Ferreira

 

Veja também

capa do livro

Ética e Sustentabilidade

Heloisa Ribeiro, Roberto Bartholo e José Bittencourt

capa do livro

As Letras que Curam

Os Benefícios da Grafoterapia

Nélida Bird Burgos

capa do livro

Inovação, Redes, Espaço e Desenvolvimento

Maria Cristina Ortigão Sampaio Schiller

capa do livro

Economia industrial de empresas farmacêuticas

Lia Hasenclever, Beatriz Fialho, Helena Klein e Carla Zaire

capa do livro

Propriedade Intelectual nos Países de Língua Portuguesa

Temas e Perspectivas

Ana Célia Castro, Cristina de Albuquerque Possas e Manuel Mira Godinho (orgs.)