capa do livro

Argumentar

Leonidas Hegenberg e Flavio E. Novaes Hegenberg

Eis, de modo breve, a "tese" deste livro: "distinguir, em ordem decrescente de 'qualidade', argumentos matemáticos, dedutivos, dialéticos e retóricos".

Os dois capítulos iniciais analisam o ajuste intelectual do ser humano ao meio em que vive, usando linguagem apropriada, gradualmente desenvolvida; e examinam o argumento, em seus aspectos básicos.

O Capítulo 3 orienta-se para o final, onde a citada "tese" se desenvolve.

No Capítulo 4 apresentam-se críticas que Toulmim e Perelman dirigiram, em 1958, contra a lógica formal ensinada naqueles tempos. O assunto não é desconhecido entre nós. Obras de Perelman têm sido estudadas no Brasil. Ideias de Toulmin foram aqui divulgadas há muito (Hegenberg, Explicações científicas, 1969). Os dois autores são revistos de maneira mais minuciosa do que a habitual.

Falácias foram estudadas no passado e voltaram à tona em anos recentes. São aqui apresentadas por ângulos novos. Ideias de Hamblin são desenvolvidas de modo amplo. O quadro de Curtis é novidade na literatura brasileira.

No Capítulo 6 estão as ideias dos principais autores que se dedicaram à argumentação no final do século XX. Depois, no Capítulo 7, estão observações feitas por especialistas do século XXI.

"Coda" contém específico modo de encarar a argumentação. É a contribuição que esta obra oferece. Os autores esperam que seja apreciada e contribua para estimular novos estudos.

Veja também

capa do livro

Filosofia moral v. 2

Metaética

Leonidas Hegenberg

capa do livro

Filosofia moral v. 1

Ética

Leonidas Hegenberg

capa do livro

Ferramentas de Planejamento

Utilizando o MS Project para gerenciar empreendimentos

Rodolfo Stonner