capa do livro

Saiu da história para entrar nas revistas

Enquadramentos da memória coletiva sobre Getúlio Vargas em Veja, Realidade e Time

Eliza Bachega Casadei

Em uma época em que a memória coletiva é deslocada da inter-relação entre os indivíduos e inserida em uma esfera midiatizada, o papel dos jornalistas como divulgadores da história se torna crucial. O presente trabalho propõe o estudo dos enquadramentos da memória coletiva feitos pela imprensa, especialmente no que concerne à sua apropriação para o fornecimento de explicações coerentes sobre o tempo presente. Para isso, delimitaremos as funções que o dado histórico assume na narrativa, bem como o modo como as especificidades de cada publicação influenciam neste enquadramento. Como objeto de pesquisa, serão utilizados os textos publicados nas revistas Realidade (entre 1966 e 1976), Time (de 1954 a 2008) e Veja (entre 1968 e 2008) que fizeram menção a Getúlio Vargas.

Veja também

capa do livro

Nostalgias e mídia

No caleidoscópio do tempo

Lucia Santa Cruz e Talitha Ferraz (orgs.)

capa do livro

Repensando o lazer a partir da cultura digital

Rafael Fortes e Juliana de Alencar Viana (orgs.)

capa do livro

E o samba, sambou?

Retrospectiva do carnaval da última década

Ana Erthal, Eduardo Ariel de Souza Teixeira e Eliana de Lemos Formiga (orgs.)

capa do livro

Trajetórias docentes

Professores de História narram suas histórias na profissão

Everardo Paiva de Andrade e Marcos Pinheiro Barreto (orgs.)

capa do livro

A Comunicação Multissensorial

Compreendendo modos de sentir

Ana Erthal