capa do livro

Pesquisa social mediada por computador

Questões, metodologia e técnicas qualitativas

Telma Johnson

Este livro trata de pesquisa qualitativa mediada por computador. Ele aborda como a Internet vem sendo usada como ferramenta de coleta de dados e os tipos de métodos aplicados nos estudos dos fenômenos sociais nos espaços on-line. Este trabalho possui uma dupla intenção. A primeira é desmistificar a percepção de que a comunicação mediada por computador (CMC) é um paraíso de facilidades para a pesquisa qualitativa contemporânea. A segunda é mostrar como, na prática, a pesquisa mediada por computador pode contornar dificuldades e desafios e se revelar altamente vantajosa e produtiva em pesquisa social.

Nos últimos anos tenho tido um interesse especial pelas novas práticas sociais e processos comunicativos em ambientes on-line. Tudo começou em 1995, quando desenvolvi minha dissertação de mestrado sobre A primeira geração do jornalismo eletrônico no Brasil, nos Estados Unidos. Naquela época, com a minha experiência em pesquisa quantitativa, comecei a desenvolver o interesse em trabalhar mais diretamente com a pesquisa qualitativa por entender a insuficiência de aprender e compreender a complexidade das formas de vida social apenas pela abordagem quantitativa e suas técnicas estatísticas.

Em minha tese de doutorado sobre Os bastidores da Wikipédia lusófona, contudo, me deparei com uma situação muito incômoda: onde estavam as referências, os livros, os manuais práticos brasileiros sobre como fazer pesquisa mediada por computador? Apesar da extensa literatura brasileira sobre como fazer pesquisa social qualitativa, descobri um vácuo quanto às encruzilhadas, vantagens e desvantagens, facilidades e dificuldades de usar a Internet como método de coleta de dados qualitativos. A literatura internacional sobre o assunto, especialmente em língua inglesa, aliviou parte da minha ansiedade, mas pontos continuaram obscuros. Como fazer? O que fazer e não fazer? O que poderia dar certo e dar errado? As respostas só vieram com a minha experiência prática no meu percurso de pesquisa.

Essas breves palavras são para dizer que o meu propósito é compartilhar essa experiência prática de pesquisa. Este livro se destina, em geral, a qualquer pessoa interessada em aprender sobre pesquisa mediada por computador. Uma audiência mais específica são os estudantes em fase final nos cursos de graduação, candidatos a processos seletivos de cursos de pós-graduação e pós-graduandos em faculdades e universidades interessados em como fazer pesquisa qualitativa on-line. Ao longo do livro me refiro à essa audiência como pesquisador iniciante, não no sentido estrito de inexperiente, mas iniciante quanto a questões, metodologias e métodos relativos à pesquisa mediada por computador.

O livro está organizado em duas vertentes. A Parte 1 faz um mapeamento histórico das questões ontológicas que marcaram a pesquisa em comunicação mediada por computador, diferencia teoria substantiva e teoria metodológica e faz uma revisão da literatura sobre as primeiras práticas de pesquisa mediada por computador, tanto qualitativas como quantitativas, utilizadas nos vários campos do conhecimento. A Parte 2 trata especificamente dos estágios pré-empírico e empírico da pesquisa mediada por computador. É nesta parte que explico e detalho como essa metodologia pode ser planejada e a possibilidade dos métodos, com suas vantagens e desvantagens, apresentando exemplos e casos de pesquisas reais em espaços sociais on-line.

Embora considerando a existência dos estágios pré-empírico, empírico e pós-empírico em qualquer pesquisa social, como apresento em forma de gráfico na Parte 2 do livro, decidi privilegiar e focar nos dois estágios iniciais por acreditar que eles são o verdadeiro "calcanhar-de-aquiles" em pesquisa mediada por computador, e não apenas para o pesquisador iniciante. O estágio pós-empírico, que envolve relato dos achados e conclusões, não foi contemplado neste estudo, não apenas porque cada experiência de pesquisa é única, mas também porque há uma vasta literatura nacional e internacional sobre escrita acadêmica.

Na parte final do livro, proponho uma consideração especial ao legado da pesquisa naturalística, fundamentada na metodologia relacional e na triangulação de métodos qualitativos, como caminho promissor para os estudos dos fenômenos sociais on-line. Eu espero que este trabalho seja útil, tanto para o pesquisador iniciante em métodos on-line como para aqueles que ensinam métodos de pesquisa, nas várias áreas das ciências humanas e sociais.

Telma Johnson

Veja também

capa do livro

Esfera Pública, Redes e Jornalismo

Ângela Marques, Caio Túlio Costa, Cláudio Novaes Pinto Coelho et al.

capa do livro

Nos bastidores da Wikipédia lusófona

Percalços e conquistas de um projeto de escrita coletiva on-line

Telma Johnson

capa do livro

Prazeres Digitais

Computadores, Entretenimento e Sociabilidade

Simone Pereira de Sá e Ana Lucia Enne

capa do livro

Conversando com o Formador

Entrevistas

Maria Lúcia Gomes de Matos

capa do livro

Mídia e religião

Entre o mundo da fé e o do fiel

Viviane Borelli (org.)