capa do livro

O tributo invisível

José Ricardo da Silva Nunes

Nosso país está em guerra. Ela está presente em nosso dia a dia: quando vamos à padaria, ao supermercado, à loja da esquina, quando pagamos a passagem no ônibus, no metrô, no trem...

Sim, estamos em ‘estado de guerra’ ou em ‘estado de sitio’, porque nessas situações extremas é que nossa Constituição Federal admite o confisco a que estamos submetidos de forma insidiosa, disfarçada, sutil...

Não acredita nisso? Pois comece a acreditar, porque você paga tributo, além de pagar tributo que incide sobre outros tributos, tributo de tributo, até tributo que incide sobre si mesmo. Acredite-se ou não, isso também é confisco!

São ardilosos artifícios que o Estado utiliza para arrecadar mais, bem mais do que as leis permitem.

Dessa forma, fica evidente que o Estado vai enchendo seus cofres, enquanto o seu bolso, a sua poupança, vai minguando, ficando cada vez mais vazios.

Veja também

capa do livro

Produção pública de medicamentos no Brasil

Capacitação tecnológica e acesso a medicamentos

Lia Hasenclever, Maria Auxiliadora Oliveira, Julia Paranhos e Gabriela Chaves (orgs.)

capa do livro

Direito e Antropologia

Luiz Eduardo Figueira, Alexandre Magalhães e Juliana Neuenschwander Magalhães (orgs.)

capa do livro

Vulnerabilidades do Complexo Industrial da Saúde

Reflexos das políticas industrial e tecnológica na produção local e assistência farmacêutica

Lia Hasenclever, Julia Paranhos, Gabriela Chaves e Maria Auxiliadora Oliveira (orgs.)

capa do livro

Arranjos Produtivos Locais: Referencial, experiências e políticas em 20 anos RedeSist

Marcelo P. Matos, José E. Cassiolato, Helena M. M. Lastres, Cristina Lemos, Marina Szapiro (orgs.)