capa do livro

Repensando o lazer a partir da cultura digital

Rafael Fortes e Juliana de Alencar Viana (orgs.)

"Um dos elementos fundamentais para o estudo e a reflexão sobre o lazer é o tempo. O que fazemos ou deixamos de fazer com o nosso tempo determina em grande medida a maneira como usufruímos o nosso lazer. Nos dias atuais, grande parte do nosso tempo é dedicado ao uso de dispositivos tecnológicos: computadores, tablets e smartphones vão aos poucos se tornando onipresentes no cotidiano de parcela cada vez maior da população.

Apesar desses efeitos visíveis, os estudos sobre o lazer ainda não assimilaram o assunto como parte de suas preocupações prioritárias, o que não deixa de ser surpreendente. O establishment acadêmico da especialidade no Brasil, que conta já com uma tradição mais ou menos bem constituída, ainda não tomou para si a missão de esquadrinhar as causas e consequências das novas tecnologias de comunicação sobre as estruturas de uso social do tempo.

Especialistas da área de comunicação, por outro lado, mais familiarizados com pesquisas sobre os usos de tecnologias informacionais, ainda parecem encarar os termos lazer ou tempo livre com certa desconfiança.

Nesse contexto, esforços de Rafael Fortes têm se destacado pela ousadia de ignorar preconceitos e transgredir fronteiras disciplinares. Este livro que o leitor tem em mãos é um excelente exemplo da originalidade que cerca iniciativas lideradas por Fortes. Ao seu lado, na organização da empreitada, Juliana de Alencar Viana, uma das que abraçou o desafio de estudar as formas como usamos as novas tecnologias de comunicação como parte dos nossos lazeres.

A eles se juntam outros pesquisadores da comunicação, da antropologia, da sociologia, da administração, da psicologia, dos estudos do lazer ou de alhures, cujo resultado final é estimulante e admirável, entrelaçando música, esportes, turismo, pornografia, videogames, sociabilidades virtuais e políticas governamentais.

Seria tentador dizer que tudo isso ajuda a entrever o futuro. Mas já não é o futuro que o leitor encontra aqui. É uma análise aguda e inventiva do presente – que está moldando decisivamente a forma como trabalhamos, descansamos e nos divertimos de agora em diante." (Cleber Dias)

Veja também

capa do livro

Nostalgias e mídia

No caleidoscópio do tempo

Lucia Santa Cruz e Talitha Ferraz (orgs.)

capa do livro

E o samba, sambou?

Retrospectiva do carnaval da última década

Ana Erthal, Eduardo Ariel de Souza Teixeira e Eliana de Lemos Formiga (orgs.)

capa do livro

A Comunicação Multissensorial

Compreendendo modos de sentir

Ana Erthal

capa do livro

TeleVisões

Reflexões para além da TV

Ariane Holzbach e Mayka Castellano (org.)

capa do livro

Ontem, Hoje e Sempre

Maria Lúcia Gomes de Matos