capa do livro

Diálogos sobre Ensino, Educação e Cultura

Écio Antônio Portes (org.)

O presente livro é fruto do esforço de um conjunto de professores(as) da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Minas Gerais, para trazer a público os resultados de suas reflexões e de suas pesquisas, algumas ainda em andamento. Esses(as) professores(as)/pesquisadores(as) são integrantes do Grupo Multidisciplinar em Fundamentos da Prática Educativa (FUPE). Nesse sentido, observa-se que a preocupação que eles e elas expressam nesse livro giram em torno de três temas fulcrais para a cena brasileira: o ensino, a educação e a cultura. A organização interna dos trabalhos que compõem o livro procurou obedecer a essa lógica, embora não tenhamos separado os diversos artigos por seções ou coisa parecida. Preferimos separá-los por capítulos.

Podemos observar que os primeiros artigos do livro possuem a forte preocupação com a educação escolar, traçando perfil de professoras e professores, discutindo a formação continuada tendo a universidade como um espaço de convivência, desvelando os mitos presentes na prática pedagógica do ensino de matemática ou no ensino de física e as possibilidades da construção do saber via etnociência.

Em seguida, encontramos aqueles trabalhos mais atinentes aos assuntos históricos, como a pesquisa e o ensino em História da Educação e dois estudos que se aproximam, um sobre a ludicidade e arte-educação e outro, sobre o corpo e o lúdico, em uma perspectiva histórica, mesmo que abordem seus objetos através de diferentes ângulos.

Por último, encontramos três ensaios preocupados em refletir sobre a escola, a cidadania, o professor e a sala da aula e as interações entre cultura, educação e formação humana.

Diálogos sobre ensino, educação e cultura é um livro voltado para as preocupações atuais colocadas pela cena educacional brasileira, podendo, pois, servir de apoio, de orientação e de auxílio na reflexão de pesquisadores, professores, gestores escolares, pais e diferentes sujeitos interessados na discussão dos desafios vividos pela educação que, nos dizeres de Durkheim, é um “processo metódico de socialização”.

Esperamos assim, levar ao público um pouco dos nossos esforços cotidianos para refletir, transmitir e produzir conhecimento sobre a realidade da educação, em diferentes dimensões.

Para terminar, não devemos deixar que a cobrança para que produzamos mais e mais, em um típico efeito Leitmotiv, nos tire a satisfação e a alegria daquilo que produzimos. Posso então, falar da nossa alegria de podermos socializar o conhecimento aqui levado ao público mais amplo, principalmente aos professores do Ensino Básico, já que o livro estabelece a possibilidade de ser transportado aos mais diferentes e longínquos lugares, ampliando as fronteiras do difícil acesso aos bens culturais. Aqui, a palavra escrita, contrariando o poeta Mário Quintana, é muito mais do que uma “borboleta morta espetada em uma página”. Ela pode significar uma possibilidade de esperança e de diálogo com os profissionais da educação espalhados por esse Brasil à fora.

Quero ainda agradecer a todos os autores que cederam seus trabalhos para essa publicação e à UFSJ por disponibilizar recursos sem os quais essa publicação dificilmente sairia. Ao apoiar o FUPE a Universidade apóia toda a comunidade acadêmica para que traga a público suas reflexões e produções sobre os diversos campos do conhecimento sobre os quais ela se ocupa.

 

São João del-Rei, abril de 2006
O organizador

Veja também

capa do livro

Educação, etnicidades e alteridades

Lutas por reconhecimento

José Valdir Santana, Maria de Fátima Ferreira, Benedito Eugenio e Jussara Moreira (orgs.)

capa do livro

Vivências e Docência

Impactos na formação individual e na prática docente

Maria Auxiliadora Negreiros de Figueiredo Nery

capa do livro

O Ensino à Distância na formação em Serviço Social

Análise de uma década

Andréa Araújo do Vale e Larissa Dahmer Pereira (orgs.)

capa do livro

De rodas, varejeiras e outros jeitos de aprender e ensinar

Elizabeth Tunes, Zoia Prestes e Roberto Bartholo (orgs.)