capa do livro

Agroindústria e Citricultura no Brasil

Diferenças e dominâncias

Luiz Fernando Paulillo (org.)

O setor agroindustrial citrícola é um dos mais dinâmicos da economia brasileira. Repleto de lances e movimentos surpreendentes ao longo de sua história relativamente curta (de 1960 em diante), este setor é uma ótima referência para o leitor que deseja compreender, por meio de estudos setoriais, os modos pelos quais as diferenças e dominâncias continuam se desenvolvendo no capitalismo brasileiro:
- Diferenças econômicas, tecnológicas e organizacionais entre os segmentos de um complexo agroindustrial (que surgiu e cresceu em torno do desenvolvimento do mercado internacional de suco concentrado de laranja) e de políticas públicas que facilitaram a expansão da produção de laranja no estado de São Paulo;
- Diferenças econômicas e sociais entre atores produtivos pertencentes às diversas categorias profissionais envolvidas no agronegócio da laranja (citricultores, colhedores de laranja, industriais, intermediários, barracões, operadores de tradings, prestadores de serviços etc.).
- Dominâncias econômicas entre atores coletivos que representam interesses de segmentos produtivos e categorias profissionais em uma rede de poder muito organizada, cujo campo de disputa é cada vez mais pautado em torno das negociações de preços das caixas de laranja entre fábricas de suco e citricultores. Dominância política, que é construída nesta rede política onde o Estado e suas agências públicas têm papel importante - embora este tenha mudado de perfil ao longo das décadas.
Dos segmentos industriais e de serviços ao agrícola, das negociações de preços às políticas públicas e dos interesses privados aos públicos, a relação entre atores citrícolas e seus interesses ganham complexidade. À medida que se vai tentando diagnosticar as diferenças e apontar as dominâncias, amplia-se o espectro do campo de relações e decisões deste importante setor da pauta exportadora brasileira.
Os temas e problemas abordados na presente obra são complexos e refletem a dinâmica de um setor econômico muito importante do Brasil. Um setor marcado por grandes diferenças e dominâncias desde o processo de constituição ocorrido no início dos anos 60: pujante e competitivo no cenário internacional, porém marcado por desigualdades profundas em seu território produtivo. Essas desigualdades marcam a história do setor com sucessos de produção e de comercialização, embora as exclusões econômica e social causem indignações na sociedade civil e nos governantes do Brasil.

Luis Fernando Paulillo

Veja também

capa do livro

O Desenvolvimento Econômico Local no Estado do Rio de Janeiro

Quatro Estudos Exploratórios: Campos, Itaguaí, Macaé e Nova Friburgo

Yves-A. Fauré e Lia Hasenclever

capa do livro

O Desenvolvimento Local no Estado do Rio de Janeiro

Estudos avançados nas realidades municipais

Yves-A. Fauré e Lia Hasenclever

capa do livro

Caleidoscópio do Desenvolvimento Local no Brasil

Diversidade das Abordagens e experiências

Yves-A. Fauré e Lia Hasenclever

capa do livro

Gente de fora

Vida e trabalho dos assalariados do café em uma região de Minas Gerais

Roberta Novaes

capa do livro

Estratégias para o Desenvolvimento

Um enfoque sobre Arranjos Produtivos Locais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste Brasileiros

Helena M. M. Lastres e José E. Cassiolato (orgs.)