capa do livro

Roberto Bartholo

Roberto Bartholo é docente do Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ, onde chefia o LTDS (Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social). É também coordenador do Espaço COPPE Miguel de Simoni de Tecnologia e Desenvolvimento Humano.

Manuel Bomfim (1868-1932) foi um intelectual sergipano. Formado em medicina, atuou ainda como jornalista, professor, político e escritor. Dedicou-se a analisar a formação da nacionalidade brasileira, refletindo sobre o país e os brasileiros.

Comentado por Ronaldo Conde Aguiar.

Anísio Spínola Teixeira (1900-1971), nasceu em Caetité (BA). Diplomou-se na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro (1922). Foi Inspetor Geral do Ensino da Bahia em 1924. Fez pós-graduação no Teachers College da Columbia University. Defendeu um programa de reconstrução educacional no Brasil.em 1932: o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. De 1931 a 1935, atuou como Diretor da Instrução Pública do Distrito Federal. Em 1946, tornou-se Conselheiro de Ensino Superior da UNESCO. E em 1951, no Rio de Janeiro, criou a CAPES – Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. De 1952 a 1964 foi diretor do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP) onde criou o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais (CBPE). Ao lado de Darcy Ribeiro e com apoio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência idealiza e trabalha para a instalação da Universidade de Brasília, foi afastado do cargo de reitor da UnB, pelos militares, em 1964 e em 1971 candidata-se a uma vaga na Academia Brasileira de Letras.

Comentado por Cristina Maria Barros de Medeiros e Geraldo de Souza Ferreira.

Josué de Castro (1908-1973). Nasceu em Recife, formou-se em medicina. Trabalhou como médico, professor e pesquisador, nas áreas de nutrição, geografia e sociologia. Foi ainda deputado, embaixador. Organizou e dirigiu vários órgãos ligados ao tema alimentação. Foi um pioneiro dos estudos científicos sobre o problema da fome no Brasil e no mundo.

Comentado por Anna Maria de Castro e Flávia Passos Soares.

Alberto Guerreiro Ramos (1915-1982). Baiano de Santo Amaro, diplomou-se em ciências e bacharelou-se em Direito. Atuou como jornalista, professor, ocupou funções na burocracia governamental e foi ainda deputado federal. Foi diretor do departamento de sociologia do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (Iseb), cujo objetivo era o estudo, o ensino e a divulgação das ciências sociais, dedicadas à análise e à compreensão crítica da realidade brasileira, assim como a elaborar instrumental teórico que permitisse o incentivo e a promoção do desenvolvimento nacional.

Comentado por Carlos Renato Mota, José Augusto Kamel e Roberto Bartholo.

Celso Furtado: homem público, que teve seus direitos cassados em 1964, não se furtou diante dos desafios: atuou como planejador – participou da comissão mista CEPAL-BNDE, elaborou o plano para o desenvolvimento do Nordeste e o Plano Trienal - e executor de políticas de desenvolvimento. Superintendente da Sudene, Ministro do Planejamento e Ministro da Cultura. Doutor em economia pela Universidade de Paris, em 1948, e membro da Comissão Econômica para América Latina (CEPAL).

Comentado por Andreia Ribeiro Ayres.



Livros do autor

capa do livro

Ética e Sustentabilidade

Heloisa Ribeiro, Roberto Bartholo e José Bittencourt

capa do livro

Flor de Ti

Anotações e Versos em Estética Teológica

Roberto Bartholo

capa do livro

Sentidos do Trabalho Humano

Miguel de Simoni, presença inspiração

Marcelo Firpo Porto e Roberto Bartholo (org.)

capa do livro

Inovação social e sustentabilidade

Desenvolvimento local, empreendedorismo e design

Roberto Bartholo e Carla Cipolla (orgs.)

capa do livro

A Projetação e seus Horizontes

Questões contemporâneas para a Engenharia de Produção

Roberto Bartholo, Francisco José de Castro Moura Duarte e Carla Cipolla (orgs.)

capa do livro

Africa.Brasil.Dialogs

A collaborative platform for social innovation

Roberto Bartholo, Ivan Bursztyn e Carla Cipolla (Orgs.)