Roberto Bartholo


Roberto Bartholo é docente do Programa de Engenharia de Produção da COPPE/UFRJ, onde chefia o LTDS (Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social). É também coordenador do Espaço COPPE Miguel de Simoni de Tecnologia e Desenvolvimento Humano.

Manuel Bomfim (1868-1932) foi um intelectual sergipano. Formado em medicina, atuou ainda como jornalista, professor, político e escritor. Dedicou-se a analisar a formação da nacionalidade brasileira, refletindo sobre o país e os brasileiros.

Comentado por Ronaldo Conde Aguiar.

Anísio Spínola Teixeira (1900-1971), nasceu em Caetité (BA). Diplomou-se na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro (1922). Foi Inspetor Geral do Ensino da Bahia em 1924. Fez pós-graduação no Teachers College da Columbia University. Defendeu um programa de reconstrução educacional no Brasil.em 1932: o Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova. De 1931 a 1935, atuou como Diretor da Instrução Pública do Distrito Federal. Em 1946, tornou-se Conselheiro de Ensino Superior da UNESCO. E em 1951, no Rio de Janeiro, criou a CAPES – Comissão de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. De 1952 a 1964 foi diretor do Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos (INEP) onde criou o Centro Brasileiro de Pesquisas Educacionais (CBPE). Ao lado de Darcy Ribeiro e com apoio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência idealiza e trabalha para a instalação da Universidade de Brasília, foi afastado do cargo de reitor da UnB, pelos militares, em 1964 e em 1971 candidata-se a uma vaga na Academia Brasileira de Letras.

Comentado por Cristina Maria Barros de Medeiros e Geraldo de Souza Ferreira.

Josué de Castro (1908-1973). Nasceu em Recife, formou-se em medicina. Trabalhou como médico, professor e pesquisador, nas áreas de nutrição, geografia e sociologia. Foi ainda deputado, embaixador. Organizou e dirigiu vários órgãos ligados ao tema alimentação. Foi um pioneiro dos estudos científicos sobre o problema da fome no Brasil e no mundo.

Comentado por Anna Maria de Castro e Flávia Passos Soares.

Alberto Guerreiro Ramos (1915-1982). Baiano de Santo Amaro, diplomou-se em ciências e bacharelou-se em Direito. Atuou como jornalista, professor, ocupou funções na burocracia governamental e foi ainda deputado federal. Foi diretor do departamento de sociologia do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (Iseb), cujo objetivo era o estudo, o ensino e a divulgação das ciências sociais, dedicadas à análise e à compreensão crítica da realidade brasileira, assim como a elaborar instrumental teórico que permitisse o incentivo e a promoção do desenvolvimento nacional.

Comentado por Carlos Renato Mota, José Augusto Kamel e Roberto Bartholo.

Celso Furtado: homem público, que teve seus direitos cassados em 1964, não se furtou diante dos desafios: atuou como planejador – participou da comissão mista CEPAL-BNDE, elaborou o plano para o desenvolvimento do Nordeste e o Plano Trienal - e executor de políticas de desenvolvimento. Superintendente da Sudene, Ministro do Planejamento e Ministro da Cultura. Doutor em economia pela Universidade de Paris, em 1948, e membro da Comissão Econômica para América Latina (CEPAL).

Comentado por Andreia Ribeiro Ayres.

Livros do autor

capa do livro

Ética e Sustentabilidade

Heloisa Ribeiro, Roberto Bartholo e José Bittencourt

capa do livro

Flor de Ti

Anotações e Versos em Estética Teológica

Roberto Bartholo

capa do livro

Exclusão Social no Brasil

Textos comentados de Manuel Bomfim, Anísio Teixeira, Josué de Castro, Guerreiro Ramos, Celso Furtado

Roberto Bartholo

capa do livro

Sentidos do Trabalho Humano

Miguel de Simoni, presença inspiração

Marcelo Firpo Porto e Roberto Bartholo (org.)

capa do livro

Inovação social e sustentabilidade

Desenvolvimento local, empreendedorismo e design

Roberto Bartholo e Carla Cipolla (orgs.)

capa do livro

A Projetação e seus Horizontes

Questões contemporâneas para a Engenharia de Produção

Roberto Bartholo, Francisco José de Castro Moura Duarte e Carla Cipolla (orgs.)