Antonio Carlos de Souza Lima e Maria Macedo Barroso (orgs.)


André Raimundo Ferreira Ramos é mestre em História pela PPGHIS da UFG e técnico de indigenismo e historiador da Funai. Foi chefe do Departamento de Documentação da Funai (2000-2003) onde atua em projetos de educação escolar indígena e educação não escolar voltados para sustentabilidade. Desenvolve estudos na área de História e Educação, com ênfase em História Indígena, política indigenista e educação intercultural.

Antonio Carlos de Souza Lima é antropólogo, professor associado de Etnologia do Departamento de Antropologia/MN/UFRJ; bolsista de produtividade em pesquisa 1B do CNPq e bolsista Cientista do Nosso Estado/Faperj. É co-coordenador do Laced, vinculado ao Departamento de Antropologia/Museu Nacional (UFRJ). Coordenou o projeto Trilhas de Conhecimentos: o ensino superior de indígenas no Brasil em suas duas etapas, (2004-2010).

Fúlvia Rosemberg é professora titular de Psicologia Social na PUC-SP com experiência em Ideologia e Educação. Atualmente é pesquisadora sênior da Fundação Carlos Chagas onde coordena o Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação da Fundação Ford.

Guilherme Martins de Macedo é mestre em Antropologia pelo PPGAS/MN/UFRJ e desde 1992 trabalha com questões indígenas. Foi coordenador técnico do Projeto Vigisus II (Brasil/Banco Mundial) para o desenvolvimento do Sistema de Saúde Indígena (2004-2009). Atualmente é perito sênior do Programa Regional Amazônia da agência Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ), assessorando a Organização do Tratado de Cooperação Amazônica.

Gustavo Hamilton de Sousa Menezes é doutor em Antropologia Social pela UnB, com especialização em Etnologia e educação intercultural. É antropólogo da Funai onde foi coordenador de Políticas Educacionais (2008-2010). Atualmente é chefe do Núcleo de Antropologia da Procuradoria Jurídica onde atua na produção de laudos antropológicos em processos judiciais penais envolvendo réus indígenas, desenvolvendo pesquisas sobre criminalização, situação prisional e justiça indígenas.

Kleber Gesteira Matos é mestre em Ciências Sociais pela UnB. Foi docente em cursos de formação de professores indígenas, orientando a produção de materiais didáticos, construção de currículos e realização de pesquisas (1990-2003). Foi responsável pela execução das políticas de educação escolar indígena da Secad/MEC (2003/2008) e secretário-executivo adjunto da Secretaria Geral da Presidência da República (2009/2010). Atualmente é diretor da Anaya Produções Culturais.

Leandro Feitosa Andrade é professor nas Faculdades Metropolitanas Unidas e sub-gerente do Programa Internacional de Bolsas de Pós-Graduação da Fundação Ford na Fundação Carlos Chagas.

Marcos Moreira Paulino é mestre em Educação pela UFRJ e professor na rede estadual de ensino fluminense. Atuou em movimentos populares para democratização do acesso à universidade, além de lecionar em cursos de pós-graduação na área de Educação-EAD, em convênio MEC/UFRJ. É pesquisador associado do Laced onde integrou a equipe do Trilhas de Conhecimentos e atualmente atua no projeto A Educação Superior de indígenas no Brasil.

Maria Helena S. da Silva Fialho é especialista em línguas indígenas brasileiras pela UFRJ e mestre em Desenvolvimento Sustentável junto a povos e terras indígenas pela UnB. É professora da Funai onde foi coordenadora geral de Educação (2000-2010). Atua no contexto das ações sob perspectiva de gênero, assuntos geracionais e mobilização social com povos indígenas, contribuindo para o fortalecimento e efetivação dos seus direitos com foco na valorização e reconhecimento da multiculturalidade para a construção de políticas públicas pertinentes aos povos indígenas.

Maria José de Jesus Alves Cordeiro é doutora em Educação (currículo pela PUC/SP), docente e pesquisadora extensionista do curso de Pedagogia e coordenadora do Programa Mais Educação/MEC na Uems. É líder de grupo de pesquisa do CNPq (Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação, Gênero, Raça e Etnia (Gepegre)); membro da comissão de elaboração do Programa Integrado de Ações Afirmativas para Negros – Brasil AfroAtitude; do Grupo de Trabalho Nacional de Elaboração de Políticas de Acesso e Permanência da População Negra nas IES Públicas (Uniafro); e da Cesi/Sesu/MEC para elaboração do Prolind.

Maria Macedo Barroso (então Maria Barroso Hoffmann) é mestre e doutora em Antropologia pelo PPGAS/MN/UFRJ. Atualmente é professora do Departamento de Antropologia Cultural e do PPGSA/IFCS/UFRJ; é pesquisadora associada ao Laced. Foi co-coordenadora do projeto Trilhas de Conhecimentos e é coeditora da presente coletânea.

Nina Paiva Almeida é doutoranda em Antropologia Social pelo PPGAS/MN/UFRJ. Desde 2010 é servidora da Funai. Foi pesquisadora associada ao Laced pelo projeto Trilhas de Conhecimentos e continua como pesquisadora associada.

Renata Gérard Bondim é doutora em Comunicação Social e mestre em Língua Portuguesa, títulos obtidos na UFRJ, onde lecionou língua portuguesa até se aposentar (1979-2004). Desde então iniciou nova vida acadêmica, realizando pesquisa em língua indígena Yawalapiti/Aruak, no Alto Xingu. Em 2005 passou a integrar a Comissão de Língua Portuguesa do MEC. Desde 2007 é consultora junto ao Laboratório Trabalho e Formação (LT&F) da Coppe/UFRJ. Atualmente também coordena o Centro de Informação e Capacitação em Metrologia e Avaliação da Conformidade (CICMA) do Inmetro. Por ocasião do seminário era consultora da Secretaria de Educação Superior do MEC (2004 a 2006) para coordenar ações de políticas públicas voltadas à educação superior indígena onde esteve à frente da construção do Prolind, ainda hoje ativo.

Susana Grillo Guimarães é mestre em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de Brasília. Iniciou sua carreira indigenista na Funai onde foi professora em escolas indígenas durante 12 anos. Foi formadora de professores indígenas no magistério de nível médio e na Licenciatura Intercultural da Unemat. Participou de equipes que elaboraram diferentes documentos técnicos no Ministério da Educação de orientação para técnicos dos Sistemas de Ensino e professores das escolas indígenas. Desde 2003 trabalha na Coordenação Geral de Educação Escolar Indígena do MEC/Secad onde atua para a efetividade do respeito e da valorização da sociodiversidade dos Povos Indígenas.

Livros do autor

capa do livro

Povos Indígenas e Universidade no Brasil

Contextos e perspectivas, 2004-2008

Antonio Carlos de Souza Lima e Maria Macedo Barroso (orgs.)