capa do livro

O progresso da ordem

O florianismo e a construção da República

Lincoln de Abreu Penna

O progresso da ordem (...) adota uma postura interpretativa que busca reler o florianismo dentro de uma visão macropolítica em cujo centro está o tema da ordem republicana, ou melhor, das várias ordens republicanas possíveis naquele momento histórico (e também um pouco histérico).

Duas características, entre outras, são, a meu ver, responsáveis pela riqueza analítica da proposta. A primeira é não perder de vista, apesar da ênfase no florianismo como movimento social, a estreita, embora tensa, vinculação entre líder e seguidores, em um processo de mútua constituição. A segunda, ainda mais importante, é a vinculação entre o que o autor chama de florianismo governamental e florianismo de rua, freqüentemente tratados sem a devida integração. (...) Lincoln traz um novo entendimento do florianismo ao distinguir e integrar as suas dimensões do fenômeno.

Trata-se de visão há um tempo complexa e sugestiva de um período histórico confuso e rico, marcado pelo embate entre direções distintas para o novo regime. Complexa ao perceber as tensões presentes nas relações entre Floriano e seu seguidores e entre os dois florianismos, que Lincoln aproxima da experiência francesa do bonapartismo e batiza com a significativa expressão de progresso da ordem que serve de título ao livro. Sugestiva ao abrir o campo para outras variações em torno do tema da ordem republicana.

José Murilo de Carvalho

Veja também

capa do livro

O Cerne da Discórdia

A Guerra do Paraguai e o Núcleo Profissional do Exército

Vitor Izecksohn

capa do livro

Desenvolvimento e mundialização

O Brasil e o pensamento de François Chesnais

José Eduardo Cassiolato, Marcelo Pessoa de Matos e Helena M. M. Lastres (Orgs.)

capa do livro

Os boêmios cívicos

A Assessoria econômico-política de Vargas (1951-54)

Marcos Costa Lima (org.)

capa do livro

A Rebelião Argentina

Assembléias de bairro, piqueteros e empresas recuperadas

Graciela Hopstein

capa do livro

Novas interpretações desenvolvimentistas

Inez Silvia Batista Castro (org.)