capa do livro

Paradoxos de uma política externa

Por que o Mercosul?

Meire Mathias

Este estudo teve por objetivo discutir a participação do Brasil no Mercosul em seu período inicial, entre 1988 e 1995, intervalo de tempo em que é possível localizar as origens, formação e consolidação da integração regional.

A abordagem, construída a partir da atuação diplomática brasileira, teve por finalidade apreender como podem ser definidas as diretrizes de uma política externa, tendo em vista os temas constitutivos da agenda externa de um país. De tal modo, busca-se compreender o significado do Mercosul para o Brasil na interpretação daqueles que foram os principais formuladores e executores do projeto, leia-se, os diplomatas.

Cabe ressaltar, ainda, que o estudo sobre as diretrizes da política externa para o Mercosul corresponde ao dinamismo das relações internacionais no início dos anos 1990, quando se verifica a dissolução do bloco socialista, a ascensão do processo de internacionalização do capital e o fortalecimento do pensamento neoliberal.

As mudanças geopolíticas e geoeconômicas daquele período influenciaram as estratégias de inserção internacional do Brasil, da mesma maneira que o ideário neoliberal que inspirou as reformas na economia nacional alcançou as concepções que fundamentaram a política externa naqueles anos. Sob essa perspectiva, toma-se a política externa brasileira como uma face do Estado que desenvolve significativo papel no âmbito interno.

Veja também

capa do livro

A política brasileira entre as décadas de 1970 e 2000

A interpretação sócio-histórica de Raymundo Faoro

Maria José de Rezende

capa do livro

PPP - Parcerias Público-Privadas

Experiência internacional no setor aerospacial

Eduardo C. Grizendi, Leonardo M. Grilo, Ricardo N. Paiva, Rubens T. Alves e Waldo A. Russo