capa do livro

A invenção da juventude violenta

Análise da elaboração de uma política pública

João Paulo Macedo e Castro

  • Prefácio
  • Introdução
    • Nascimento do Programa Escolas de Paz no Estado do Rio de Janeiro
    • Experiência-piloto
    • Programa Escolas de Paz
    • Desenho institucional
    • Dilemas e tensões
    • Caminhos e opções
    • Fazendo Políticas Públicas
  • Capítulo 1 A Unesco e a constituição de uma comunidade internacional
    • O Instituto Internacional de Cooperação Intelectual (IICI)
    • A Conferência dos Ministros Aliados da Educação (CMAE)
    • 1945 – 1950: criação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco)
    • “Público” e “Privado” na origem da Unesco
    • Estrutura organizacional
    • Em busca da universalidade: construindo as bases da cooperação internacional
    • Construindo a Organização, descentralizando a representação e centralizando as ações
    • Descentralização 1: definindo princípios
    • Definindo os papéis das agências internacionais (A/RES/44/211)
    • Descentralização 2: Em busca da expansão através das Unidades fora da sede
  • Capítulo 2 Definindo conceitos: juventude, violência e cidadania
    • Construindo um problema social
    • Construção de adesões e definição de vínculos conceituais
    • Os jovens de Brasília – instituindo um compromisso teórico-conceitual
    • Definindo conceitos e teorias. Construindo vínculos conceituais
  • Capítulo 3 Tecendo redes: o projeto Juventude, Violência e Cidadania (1999)
    • A consolidação de vínculos conceituais
    • Ampliando as redes conceituais
    • Construindo um jovem e uma juventude
    • Definindo violências e construindo o jovem violento
    • Cidadania: um problema de Estado
    • Cidadania: um problema político
  • Capítulo 4 Gerando sustentabilidade: etapas na construção de uma cultura de paz
    • Cultura de Paz – breve histórico
    • Prodoc – construindo uma pedagogia da democracia
  • Capítulo 5 Ampliando as redes e definindo os espaços de intervenção
    • Cultivando vidas e construindo formuladores de políticas públicas
    • Instituindo um léxico. A gramática da ‘nova’ política pública
    • Violências nas escolas – consolidando as estratégias de intervenção
  • Considerações finais
  • Referências bibliográficas
  • Sobre o autor

Veja também

capa do livro

Antropologia e Direitos Humanos 9

Lucía Eilbaum, Ana Paula da Silva, Gisele F. Chagas, Hippolyte B. Sogbossi e Taniele Rui (orgs.)

capa do livro

A mobilidade Warao no Brasil e os modos de gestão de uma população em trânsito

reflexões a partir das experiências de Manaus-AM e de Belém-PA

Marlise Rosa

capa do livro

Vukápanavo: O despertar do povo terena para os seus direitos

Movimento indígena e confronto político

Luiz Henrique Eloy Amado

capa do livro

Antropologia e Direitos Humanos 8

Lucía Eilbaum | Patrice Schuch | Gisele Fonseca Chagas

capa do livro

Etnografia de documentos

Pesquisas antropológicas entre papéis, carimbos e burocracias

Letícia Ferreira e Laura Lowenkron