capa do livro

Como se fosse da família

a relação (in)tensa entre mães e babás

Liane Maria Braga da Silveira

Apresentação

Introdução

Por que as babás?

“Não se pode tocar nas fotos”: uma incursão ao acervo iconográfico de Militão Augusto de Azevedo e Carlos Eugênio Marcondes de Moura no Museu Paulista

Capítulo 1

“Eu sou os olhos dela”: as babás na praça ou uma etnografia do olhar

Conhecendo o campo

Na praça: observando quem observa

Capítulo 2

Valores e práticas no mundo das empregadas domésticas

Capítulo 3

Da perspectiva da babá

Da perspectiva da mãe

“Viver mais a vida dos patrões”: (a)parente intimidade

Capítulo 4

Quanto vale uma babá?

“É dom, acho que já nasci pra ser babá.” Ou: “Babás: use com moderação”

Considerações finais

Referências bibliográficas

Veja também

capa do livro

O fazer e o desfazer dos direitos

Experiências etnográficas sobre política, administração e moralidades

Adriana Vianna (org.)

capa do livro

O medo do crime no Brasil

Controle social e rebelião

Cristina Rauter

capa do livro

Etnografia de documentos

Pesquisas antropológicas entre papéis, carimbos e burocracias

Letícia Ferreira e Laura Lowenkron

capa do livro

Família de negros

Entre a pobreza e a herança cultural

Sergio Mauricio Costa da Silva Pinto

capa do livro

Gênero, Origem Social e Religião

Os estudantes de Serviço Social do Rio de Janeiro

Pedro Simões

capa do livro

O Serviço Social no Brasil

Os fundamentos de sua imagem social e da autoimagem de seus agentes

Fátima Grave Ortiz