capa do livro

Pensamento Complexo e Portfólios de Projetos

José Carlos Junqueira

Através da transdisciplinaridade podemos identificar grandes potenciais de melhorias em metodologias tradicionalmente aceitas e estabelecidas nos campos do conhecimento humano. Estes ganhos estão relacionados com a forma como a transdisciplinaridade propõe a utilização dos recursos de pesquisa de uma disciplina em conjunto com os recursos de uma segunda disciplina e, avaliar o objeto da pesquisa com prismas de análise superiores à soma dos conjuntos de cada uma destas disciplinas.

Considerando-se uma abordagem transdisciplinar, o objetivo do presente trabalho é explorar as possibilidades da aplicação dos conceitos do pensamento complexo, mais particularmente do pensamento integrador, em uma disciplina ainda carente de uma visão mais holística – a gestão de portfólios de projetos. O pensamento integrador pode ser considerado com uma vertente do pensamento complexo, mas moldado e adaptado às ciências exatas, particularmente à administração de negócios. Existe uma potencial afinidade conceitual em matérias como a identificação de oportunidades e o gerenciamento de risco, existentes na gestão de portfólio e as metodologias de relevância e causalidade do pensamento integrador. Porém, atualmente, uma outra afinidade entre as matérias da gestão de portfólio e os métodos reducionistas de análise e resolução de problemas é ainda maior, encobrindo esta possibilidade. Através de uma abordagem mais ampla da disciplina de gerenciamento de portfólio, este trabalho busca propor a utilização do modelo de avaliação situacional do pensamento integrador no processo de avaliação e balanceamento do portfólio de projetos.

Veja também

capa do livro

Análise crítica das organizações

Estudos e reflexões

Heloisa Coutinho e Maurício Dwek (orgs.)