capa do livro

Letramento na Educação Infantil

Andreia Lucia da Silva e Valéria Krykhtine Lira


Uma das maiores angústias do professor de Educação Infantil, atuando com crianças de quatro a seis anos, é responder a si mesmo o questionamento: "É hora de iniciar a Alfabetização?" e "Será que cabe ao professor determinar o momento certo para iniciar esse processo?"

As crianças, cujos pais são oriundos de uma classe média baixa, acabam sendo retiradas da rede privada de ensino, onde se pratica a Alfabetização nas séries de Educação Infantil. Esses pais, que não podem dar aos filhos o que eles chamam de ensino de qualidade, cobram dos professores da Rede Pública a inicialização do processo de Alfabetização em tais séries.

Considerando a Educação Infantil um espaço dinâmico e educacional, o presente estudo preocupou-se em refletir se o professor deve ensinar a ler e escrever as suas crianças, ou se o Letramento é o caminho mais adequado para auxiliar a Alfabetização na série seguinte.

Nesse sentido, verificou-se a importância da definição do conceito de Letramento, de recorrer a idéias de pesquisadores como Piaget (1971 e 1973), Vygotsky (1984 e 1989), Emília Ferreiro (1986, 1988 e 2000), Ana Teberosky (1986), Magda Soares (2000), entre outros, que se preocuparam com o desenvolvimento do conhecimento infantil e aquisição da linguagem oral e escrita.

Nesse trabalho o "Como a criança aprende?" se tornou mais importante do que o "Quando e como ensinar?", sem, no entanto, desmerecer os outros questionamentos.
Devemos ter consciência de que mais importante do que alfabetizar é ensinar às crianças a função da língua e o seu significado social e não apenas os códigos da leitura e da escrita.

 

Veja também