capa do livro

A Influência da Literatura no Jornalismo

O Folhetim e a Crônica

Héris Arnt

Num momento em que os perfis dos gêneros se redesenham continuamente, em que se investigam interferências e hibridações entre campos diversos, o ensaio de Héris Arnt é de extrema importância e oportunidade.

Com recorte pessoal, a autora trabalha os limites do jornalismo e da literatura no século XIX, dando destaque à contribuição de escritores/jornalistas como Alencar e Machado, no Brasil; Dickens ou Balzac, na Europa e Mark Twain nos Estados Unidos. Sem ser um texto com pretensões históricas, oferece um panorama dos cruzamentos do discurso ficcional com o jornalismo na época do surgimento da cultura de massa. Numa visão comparativa, focaliza especialmente o folhetim e a crônica para a compreensão das diferentes situações históricas e sua dinâmica sócio-econômica.
Com rápido retrospecto busca a temática central e nos dá a trajetória do jornalismo desde as folhas manuscritas às impressas. No Brasil, o jornalismo literário nunca chegou a ter, segundo a autora, uma penetração ampla no seio da sociedade. Apesar disso, não se pode negar o papel cultural da saborosa leitura do Rio de Janeiro de El Rei a partir de Manuel Antônio de Almeida, bem como, a visão do complexo urbano da época, na pena de Alencar.

Nízia Villaça

 

Veja também

capa do livro

Imprensa e Espaço Público

A Institucionalização do Jornalismo no Brasil (1808-1964)

Lavina Madeira Ribeiro

capa do livro

Texto sem conforto

Uma proposta de redação jornalística

Maria Luiza Franco Busse

capa do livro

Imprensa e política no Brasil

A militância jornalística do proletariado

Lincoln de Abreu Penna

capa do livro

Forças Militares no Brasil Colonial

Corpos de Auxiliares e de Ordenanças na Segunda Metade do Século XVIII

Christiane Figueiredo Pagano de Mello

capa do livro

Sentidos do Trabalho Humano

Miguel de Simoni, presença inspiração

Marcelo Firpo Porto e Roberto Bartholo (org.)

capa do livro

Por que somos Florianistas?

Ensaios sobre Florianismo e Jacobinismo

Lincoln de Abreu Penna