capa do livro

Meio Ambiente e Mudanças Climáticas

Os Compromissos Legais Firmados. Efeitos Internacionais e no Brasil

Priscila N.M.M. de Oliveira

O estudo do ambiente ganhou amplitude mundial e passou a ser reconhecido a partir do momento em que a degradação ambiental atingiu índices alarmantes e constatou-se que a preservação de um ambiente sadio está intimamente ligada a da própria espécie humana.

A emergência de múltiplos problemas ambientais propicia graves prejuízos para o desenvolvimento do indivíduo e enseja a coordenação de esforços em prol da criação de uma verdadeira cultura de preservação do ambiente.

Esse despertar para uma nova cultura em favor do meio ambiente começa a ser concebido no ano de 1972, na cidade de Estocolmo, ao ser realizada a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano. Naquela oportunidade, embora tenham sido consagrados vários princípios, que inclusive serviram para “construir” o direito ambiental e ainda hoje alicerçam pontos importantes da disciplina, os problemas e dúvidas sobre a necessidade de preservar o meio ambiente e fomentar o desenvolvimento econômico começavam a ditar os contornos da discussão que seria (e ainda é) concebida nos Estados nacionais, seja no plano interno ou internacional.

Não demorou muito e os temas relativos à atividade econômica e a proteção do meio ambiente passaram a figurar como importantes na agenda internacional, levando a própria Organização das Nações Unidas, por meio de sua Assembleia Geral, a propor estudos sobre estes pontos, culminando com a produção do Relatório Brundtland, de 1987, que consagrou e estabeleceu os principais aspectos do desenvolvimento sustentável. Logo a matéria foi introduzida nos ordenamentos jurídicos dos Estados nacionais, como no caso brasileiro que ganhou relevo ao ser estabelecido na Carta Magna de 1988.

Priscila N.M.M. de Oliveira, ao se debruçar sobre o tema, percorre o caminho acima indicado até chegar ao objeto principal de seu estudo: as mudanças climáticas. O livro Meio Ambiente e Mudanças Climáticas: os compromissos legais firmados. Efeitos Internacionais e no Brasil, sistematizado em quatro capítulos, apresenta aspectos interessantes da legislação ambiental nacional e documentos internacionais que versam especificamente sobre o tema proposto.

Como afirma a autora, “o caminho é longo e com variados desafios. No entanto, quem quer ver o futuro, com a transição deste século XX I para dias melhores, deve trabalhar com afinco nessas diretrizes apontadas para combater e realinhar posturas proativas, cada um dando a sua contribuição.”

O grande desafio da humanidade é encontrar respostas para que o desenvolvimento dos Estados não aconteça de maneira predatória e comprometa os recursos para as futuras gerações. Continuemos a caminhada em prol de respostas adequadas aos desafios que são postos no dia a dia. Boa leitura!

Rio de Janeiro, outono de 2017.

Prof. Dr. Sidney Guerra

Pós-doutor pelo Centro de Estudos Sociais da
Universidade de Coimbra (Portugal) e
pelo Programa Avançado de
Cultura Contemporânea da UFRJ.

Veja também

capa do livro

Temas e problemas da vida em sociedade no Brasil

Carlos José Saldanha Machado & Rodrigo Machado Vilani

capa do livro

Poluição do ar

Indicadores ambientais

Neise Ribeiro Vieira

capa do livro

Panorama da Legislação Rural Brasileira

Um guia das leis e decretos que balizaram e balizam o setor agropecuário: 1830-2014

José Cordeiro de Araújo

capa do livro

Governança Climática no Antropoceno

Da rudeza dos fatos à esperança no Brasil

Carlos José Saldanha Machado e Rodrigo Machado Vilani

capa do livro

Impactos ambientales causados por los plasticos

Una discusión amplia sobre los mitos y los datos científicos

Jose Carlos Pinto et al